quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Tina Modotti por Edward Weston

© Foto de Edward Weston. Tina Modotti recitando uma poesia, 1924.

Este é um retrato muito conhecido de Tina Modotti (1896-1942) feito por Edward Weston (1886-1958). Os dois se conheceram nos EUA, e acabaram tendo um relacionamento amoroso. Como modelo de Weston, Tina aprendeu a fotografar. Edward e Tina se mudaram para o México, onde foram muito bem acolhidos pelo círculo intelectual mexicano, se tornando amigos de Diego Rivera, David Alfaro Siqueiros, entre outros grandes artistas. Em 1927, Modotti ingressou no Partido Comunista Mexicano. Devido a sua participação política, ela foi expulsa do México em 1930. Os dez anos de exílio de Tina na Europa foram sofridos, despojada de sua identidade, viveu na Alemanha. De regresso ao México, amargurada, Tina Modotti morreu dentro de um taxi em janeiro de 1942.

Protesto solitário pela paz mundial

© Foto de Don McCullin. Manifestante participa de protesto a favor da paz mundial durante a “crise dos mísseis de Cuba”. Londres, 1962.

Esta imagem de autoria do fotojornalista britânico Don McCullin é uma das mais marcantes do episódio que ficou conhecido como a “crise dos mísseis de Cuba”, ocorrida em outubro de 1962. A foto mostra um manifestante solitário num protesto a favor da paz mundial, diante de um pelotão de policiais em Londres. A crise se iniciou quando os soviéticos, em resposta a instalação de mísseis nucleares na Turquia em 1961, e à invasão de Cuba pelos Estados Unidos, no mesmo ano, instalaram mísseis nucleares em Cuba para dissuadir uma outra tentativa de invasão da ilha. Foram treze dias de tensão mundial devido ao medo de um possível conflito nuclear, até que em 28 de outubro, os soviéticos fizeram um acordo secreto com os EUA, para que retirassem os mísseis da Turquia. Em contra partida os soviéticos concordaram em remover os mísseis de Cuba.

Pouso forçado em Paris

© Foto de Pierre Baudier. O avião da Varig realizou um pouso de emergência nas redondezas de Paris, matando 123 pessoas, apenas 11 sobreviveram. França, 1973.

Em 11 de julho de 1973, um Boeing 707 da Varig se preparava para aterrissar no Aeroporto de Orly em Paris, quando um incêndio a bordo obrigou a aeronave a realizar um pouso de emergência em uma plantação de cebolas, a cerca de 4 km do aeroporto, matando quase todos os seus ocupantes. Entre as vítimas, estavam o presidente do Senado Filinto Müller, o cantor Agostinho dos Santos, a atriz e socialite Regina Lecléry, o iatista Jörg Bruder e os jornalistas Júlio Delamare, Antônio Carlos Scavone e Celso Leite Ribeiro. Dos 137 ocupantes, 122 morreram. A perícia indicou que a causa mais provável do incêndio foi uma ponta de cigarro acesa, que teria sido jogada na lixeira do toalete da aeronave. O senador Felinto Müller, que morreu no desastre, era um torturador e apoiador de ditaduras, uma das figuras mais nefastas da política brasileira.

Emmanuelle Béart, a musa do cinema francês

© Foto de Sylvie Lancrenon. A atriz francesa Emmanuelle Béart. Havana, 2008.

Em 2008, Emmanuelle Béart, a musa do cinema francês, apareceu nua, aos 45 anos de idade, no livro "Cuba Libre", da fotógrafa Sylvie Lancrenon, causando furor na Europa. Emmanuelle Béart chamou a amiga Sylvie Lancrenon para fazer as fotos, que foram feitas em um quarto de hotel, em Havana. A crítica comparou esse ensaio com o livro "Sex", que Madonna lançou em 1992, com fotos feitas por Steven Meisel. Emmanuelle e Sylvie se conheceram em 2002, quando ela posou nua para a capa da a edição francesa da revista Elle.

terça-feira, 30 de agosto de 2011

August Sander e os jovens agricultores

© Foto de August Sander. Young Farmers, 1914.

A foto de August Sander (1876-1964) intitulada “Young Farmers, 1914", que mostra três jovens agricultores, de barba feita, cabelo penteado, vestindo terno e chapéu, até hoje é uma incógnita para os estudiosos da fotografia. Seriam eles irmãos, amigos, vizinhos? Para onde iam? O fotógrafo alemão é considerado o mais importante retratista do início do século XX. Sander realizou este icônico retrato para o projeto "Man in the Twentieth Century", que visava documentar o povo alemão, para produzir um catálogo com fotografias de indivíduos e de pequenos grupos, por profissão e classe social.

Dona Hermínia, uma expoente do fotoclubismo brasileiro

© Foto de Claudia Ferreira/ acervo do projeto Memória e Movimentos Sociais. Dona Hermínia em sua residência. Rio de Janeiro, 1988.

Dando início a uma série sobre as mulheres que foram pioneiras na fotografia brasileira, começo com Hermínia de Mello Nogueira Borges (1894-1989), que se destacou na fotografia pictorialista no Brasil na primeira metade do século XX. Dona Hermínia como era conhecida, iniciou a carreira de fotógrafa após se casar em 1918, com o advogado e fotógrafo amador João Nogueira Borges. Em 1923, com intuito de divulgar a fotografia artística no Brasil, fundou junto com o marido e um grupo de amigos, o Foto Clube Brasileiro, cuja sede da entidade era em sua própria residência, no bairro de Laranjeiras (Zona Sul do Rio). Em 1953, Hermínia parou de fotografar devido à morte do marido. Em 1982, o Núcleo de Fotografia da Fundação Nacional de Arte-FUNARTE, promoveu uma exposição retrospectiva de sua obra. Na foto acima, de autoria de Claudia Ferreira, feita em 1988, vemos Dona Hermínia no apartamento em que ela morava, em um prédio construído exatamente onde tinha sido a casa dela e também a sede do Foto Clube Brasileiro. A imagem compõe o acervo digital do Projeto Memória e Movimentos Sociais, que tem como finalidade contribuir para o resgate da memória dos movimentos sociais contemporâneos, com fotografias de autoria da fotojornalista Claudia Ferreira, que contém imagens dos movimentos sociais protagonizados por mulheres e as manifestações políticas e sociais das décadas de 80, 90 e 2000 no Brasil. Acesse o site do Projeto Memória e Movimentos Sociais Aqui

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Jack Nicholson por Otto Stupakoff

© Foto de Otto Stupakoff/IMS. Jack Nicholson. Nova York, 1973.

Em 1973, o fotógrafo paulistano Otto Stupakoff (1935-2009) retratou o ator Jack Nicholson em Nova York. “Eu sempre lia muito sobre a pessoa que ia fotografar, havia um preparo. Com exceção do Jack Nicholson, que foi muito grosseiro, todas as pessoas foram extremamente cordiais comigo”, afirmou Otto Stupakoff ao portal UOL, pouco antes da sua morte. Reza a lenda que Jack Nicholson reclamou do local escolhido para as fotos, que era a rua e acabou fazendo apenas dois cliques. “O meu tipo de fotografia era o de passar o dia inteiro com a pessoa, às vezes mais de um dia, por exemplo, com a alteza real Grace de Mônaco (Grace Kelly) e sua filha Stephanie. Eu fotografei Sophia Loren quatro ou cinco vezes, havia um pouco mais de intimidade, cheguei a passar a noite em seu bangalô, mas nunca tive a ilusão de que era amigo dessas celebridades”, emendou Otto.

Marlon Brando, um símbolo sexual

© Warner Bros. Marlon Brando durante as filmagens de “Um Bonde Chamado Desejo”, 1951.

O lendário Marlon Brando é o protagonista desta bela foto feita durante as filmagens de “Um Bonde Chamado Desejo”, em 1951. O roteiro foi adaptado de uma peça teatral de 1947, escrita pelo dramaturgo norte-americano Tennessee Williams. No filme ele apareceu usando camisetas que realçavam os seus músculos, para definitivamente transformar-se em símbolo sexual em todo o mundo. Marlon foi considerado a 13ª personalidade mais influente do cinema de todos os tempos. Faleceu em 2004, de edema pulmonar.

"Eu sei que posso me dar ao luxo de me mostrar nua"

© Foto de Giancarlo Botti. Romy Schneider nua em seu apartamento. Paris, 1974.

Em 1974, aos 36 anos, a atriz Romy Schneider sentiu a necessidade de recuperar a confiança, para provar que ainda era bonita. Para isso Romy chamou um fotógrafo que conhecia bem: o fraco-italiano Giancarlo Botti. A sensual e mitológica atriz foi clicada nua em seu apartamento em Paris. "Eu sei que posso dar ao luxo de me mostrar nua", confidenciou a atriz na época. As fotos acabaram publicadas no livro “Romy - C'est la vie” de Giancarlo Botti, com prefácio de Michel Piccoli (Editora Schirmer / Mosel).

Sue Ford, um longo e apaixonante caso de amor com a fotografia

© Foto de Sue Ford. Self-Portrait, 1969.

Dando prosseguimento à série que revela fotógrafos poucos conhecidos no Brasil, apresento um auto-retrato feito em 1969, pela fotógrafa australiana Sue Ford (1943-2009), que durante a sua vida teve um longo e apaixonante caso de amor com a fotografia. Ela foi a primeira mulher a expor individualmente na Austrália em 1974. Em abril de 2011, foi exibida uma grande exposição retrospectiva na Monash Galeria de Arte. Sue Ford se tornou uma das fotógrafas australianas mais conhecidas no mundo. Leia mais sobre Sue Ford Aqui

Vivian Maier, a fotógrafa que trabalhou como babá durante 40 anos

© Foto de Vivian Maier. Auto-retrato. Nova York, 1953.

Em 2007, John Maloof um agente imobiliário de 26 anos, adquiriu em um leilão público nos EUA, por 400 dólares, uma caixa com 30.000 negativos. Aos poucos Maloof foi copiando os negativos e descobrindo que as fotos eram feitas nas ruas de Chicago, entre as décadas de 60 e 70. Naquela época Maloof não tinha nenhuma pista sobre o autor destas fotografias. Ele ficou tão encantado com a descoberta, que decidiu comprar o resto das caixas de negativos e também algumas cópias. O agente imobiliário localizou o nome de Vivian Maier escrito a lápis atrás de uma das fotografias. A partir daí ele resolveu pesquisar no Google para tentar descobrir o nome que aparecia escrito na foto. Para surpresa de John Maloof, Vivian (1926 -2009) era uma fotógrafa norte-americana que trabalhou como babá durante 40 anos. “Ela vestia jaqueta, sapatos masculinos e um chapéu na maior parte do tempo. Ela era uma socialista e feminista cheia de personalidade. Ela estava o tempo todo tirando fotos que não mostrava pra ninguém, apesar de seu acervo conter mais de 100.000 imagens”, afirmou John Maloof, que ao pesquisar sobre a vida de Vivian, descobriu que ela se desfez de seus negativos para quitar uma interminável dívida de aluguel. Veja mais fotos de Vivian Maier Aqui

O salto magistral de Eva Marie Saint

© Foto de Philippe Halsman. O salto magistral da atriz Eva Marie Saint, da série “Jumpology”, 1954.

Esta é mais uma fotografia que compõe a série “Jumpology”, do fotógrafo russo Philippe Halsman (1906-1979), que retratou dezenas de personalidades pulando, entre elas Marilyn Monroe, Audrey Hepburn, Brigitte Bardot e Edward Steichen. Nesta imagem aparece o salto magistral da atriz norte-americana Eva Marie Saint, vencedora do Oscar de 1954 por sua atuação no filme “On the Waterfront” (conhecido como Sindicato de Ladrões no Brasil), no qual contracenou com Marlon Brando.Veja algumas das fotos da série Jumpology Aqui

domingo, 28 de agosto de 2011

sábado, 27 de agosto de 2011

“Pedro Martinelli, um fotógrafo viajante”

© Foto de Pedro Martinelli. Porto de Manaus. Brasil, 1996.

O Senac Lapa Scipião em São Paulo inaugura nesta segunda-feira, dia 29 de agosto, às 19h15, a exposição fotográfica “Pedro Martinelli, um fotógrafo viajante”, com curadoria de João Kulcsár. Na abertura da exposição os fotógrafos Pedro Martinelli e Roberto Linsker realizam palestra aberta ao público sobre o recém lançado livro “Martinelli, Pedro”. A palestra vai abordar o processo de produção do livro, que integra a coleção Fotógrafos Viajantes, publicada pela Terra Virgem Editora. Serão recontadas todas as etapas do livro, desde a concepção e conceituação editorial do projeto, passando pela edição e digitalização de imagens até os processos de pré-impressão, impressão e acabamento. A exposição - conta com 26 fotografias em preto e branco, registrando momentos importantes na carreira de Pedro, que estão impressas no livro. O livro - O livro Martinelli, Pedro da coleção Fotógrafos Viajantes chega às livrarias pela Terra Virgem Editora e reúne 64 imagens que vão da Amazônia à cidade de São Paulo dos anos 1970, incluindo políticos e celebridades, feitas durante os 40 anos de carreira de um dos maiores fotógrafos do País, que atuou em grandes jornais e revistas do país. Serviço: exposição “Pedro Martinelli, um fotógrafo viajante”. De 29/8 a 8/10, de 2ª a 6ª, das 8 às 21 horas, sábado das 8 às 15 horas. Local: Senac Lapa Scipião – Rua Scipião, 67 – Lapa. Gratuito.

A fotografia no filme “Blow Up”

© Foto de Arthur Evans. O fotógrafo interpretado por David Hemmings e a modelo Verushka, no filme “Blow Up”, de 1966.

Esta imagem de autoria de Arthur Evans é, sem dúvida, a mais conhecida do filme “Blow Up”, de Michelangelo Antonioni rodado em 1966, onde a fotografia desempenha um papel fundamental. Inspirado na vida do famoso fotógrafo britânico David Bailey, da época da Swinging London, o cineasta italiano Michelangelo Antonioni criou o personagem principal interpretado pelo ator David Hemmings. O filme é baseado num pequeno conto de Julio Cortázar intitulado “Las Babas del Diablo”, publicado em 1959, que conta a história do envolvimento acidental de um fotógrafo com um crime de morte. “Blow Up” conquistou a Palma de Ouro do Festival de Cinema de Cannes de 1967. Veja o trailer do filme Aqui

Henri Cartier-Bresson e sua timidez diante das câmeras

© Foto de René Burri. Henri Cartier-Bresson, na 5th Avenue. Nova York, 1959.

Henri Cartier-Bresson (1908-2004) foi retratado por René Burri fotografando de uma janela da 5th Avenue, em Nova York, em 1959. Cartier-Bresson era conhecido por sua timidez diante das câmeras, sempre avesso aos flashes e entrevistas. Há relatos de que o desejo dele era permanecer anônimo, para que não fosse reconhecido enquanto perambulava nas ruas em busca de imagens. Burri é um dos poucos fotógrafos que retratou Bresson em diversas ocasiões, um sinal de confiança e simpatia por parte do colega mais velho.

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Aleksandr Ródtchenko e a vanguarda artística russa sob vigilância do Estado

© Foto de Aleksandr Ródtchenko/Rodchenko’s Archive. Morning exercises, Student Campus in Lefortovo, 1932.

O fotógrafo-pensador russo Aleksandr Ródtchenko (1891–1956) é o autor desta foto intitulada “Morning exercises”, feita em 1932, no campus da universidade de Lefortovo, nas proximidades de Moscou. Aleksandr Ródtchenko é considerado um dos fundadores do construtivismo e do design moderno russo. Trabalhou como artista plástico, escultor, fotógrafo e designer gráfico, Ródtchenko fotografou ativamente de 1924 a 1954. Muitos de seus trabalhos influenciam até hoje a fotografia e o design gráfico mundial. A foto acima foi feita de num momento bastante complicado para o Rodchenko. Naquela época o Partido Governista impôs duras regras para a prática artística, o que fez com que Ródtchenko se concentrasse mais na pratica da fotografia de esportes e de imagens fixas. A criação artística de vanguarda russa ficou sob vigilância do Estado.

Instituto Kreatori exibe mostra coletiva com curadoria de Joaquim Paiva e Joana Mazza

© Foto Fabrício Mota. Paquistão. Imagem que compõe a mostra "Corpo Presente".

O Instituto Kreatori no Rio exibe até o dia 26 de novembro de 2011, a exposição coletiva "Corpo Presente", que apresenta trabalhos de Camila Marchon, Fabiano Cafure, Fabrício Mota, Fernando Filho, Gustavo Bomfim e Tata Barreto. Através de chamada pública online e processo de seleção entre março e abril de 2011, dez fotógrafos participaram de leitura de portfólios gratuitas no Kreatori. Nos dias 17 de abril e 19 de maio de 2011, os participantes tiveram suas imagens analisadas e comentadas pelo fotógrafo, curador e colecionador de fotografia Joaquim Paiva, e por Joana Mazza, curadora, produtora cultural e coordenadora do Programa Imagens do Povo, que escolheram as imagens que compoem esta exposição. Serviço: exposição coletiva "Corpo Presente", com trabalhos de Camila Marchon, Fabiano Cafure, Fabrício Mota, Fernando Filho, Gustavo Bomfim e Tata Barreto. Curadoria: Joaquim Paiva e Joana Mazza. De terça a sábado, das 14h às 18:30h. Instituto Kreatori. Rua Alice, 209. Laranjeiras. Rio de Janeiro (RJ). Tel: (21) 3734-4326.

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

A foto de Victor Jara dias antes de ser assassinado nos porões da ditadura chilena

© Foto de Marcelo Montecino. O célebre cantor chileno Victor Jara (1º à direita), participando de uma passeata a favor da Unidade Popular. Santiago, 03 de setembro de 1973.

Esta raríssima imagem de autoria de Marcelo Montecino, feita em 03 de setembro de 1973, mostra o célebre cantor chileno Victor Jara (autor de Te Recuerdo Amanda), participando de uma passeata a favor da Unidade Popular (coalizão de esquerda que governou o Chile de 1970 até o Golpe Militar de 11 de setembro de 1973). No dia do golpe, Victor Jara foi preso e levado para uma prisão onde acabou morrendo alguns dias depois, com dezenas de marcas de tiros e com a cara inchada e os dedos fraturados pela coronha de um rifle, para depois ter seu corpo ser lançado num matagal perto da capital chilena. Escute Aqui uma das suas mais célebres canções.

Um auto-retrato de Sally Mann

© Foto de Sally Man. Auto-retrato. EUA, 1974.

Esta é mais um belo auto-retrato da fotógrafa norte-americana Sally Mann. Nascida em 1951, em Lexington, na Virginia (EUA), o seu trabalho se desenvolve em torno de retratos - incluindo os de seus filhos que cresceram assistindo ela trabalhar - e de paisagens que parecem eternas e cercadas por uma natureza exuberante e cheia de símbolos. Trabalhando seus negativos em chapas de vidro com o processo de colódio úmido, Sally Mann questiona a memória e o desaparecimento. O uso de equipamentos fotográficos antigos e o uso de processos do século XIX proporcionam uma densidade particular nas imagens de Sally.

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

A bela Frances Bean Cobain

© Foto de Rocky Schenck. Frances Bean Cobain, 2011.

A jovem Frances Bean Cobain resolveu comemorar o seu aniversário de 19 anos produzindo um ensaio com o fotógrafo Rocky Schenck, inspirado nos anos 1930, com o mesmo olhar penetrante de seu pai, o vocalista do Nirvana Kurt Cobain (1967-1994), e de sua mãe, a cantora Courtney Love, que perdeu a guarda de Frances em 2009, depois de a Justiça considerar que ela não tinha condições psicológicas para educá-la. Frances passou a ser criada pela avó materna. Em 2010, Frances expôs seus trabalhos de ilustração em um museu de Los Angeles, sob o pseudônimo de Fiddle Tim.

As alegres meninas do Texas

© Foto de Hank Walker/Life. A performance das Texas Rangerettes. Kilgore, Texas, 1953.

Nesta foto de autoria de Hank Walker, um lendário fotojornalista da Life, feita em 1953, vemos as alegres Texas Rangerettes na estação ferroviária de Kilgore (EUA), bastante animadas com a chegada do recém eleito presidente, Dwight D. Eisenhower. Durante a sua campanha de 1952, Eisenhower foi o primeiro candidato a contratar uma agência de publicidade (BBDO), tornando-se um dos precursores do marketing político moderno. A idéia de realizar esta performance deve ter partido provavelmente da cabeça de um publicitário.

A Paris noturna de Brassaï

© Foto de Brassaï. Brouillard Avenue de L'Observatoire. Paris, 1934.

O Museu Nacional de Brasília e a Aliança Francesa inauguram no próximo dia 02 de setembro de 2011, a exposição BRASSAÏ, que revela um olhar impar sobre a Paris noturna e contraventora da década de 1930. O “fotógrafo da noite”, assim ficou conhecido o fotógrafo francês de origem húngara Gyula Halász, mais conhecido como Brassaï, um dos mais célebres fotógrafos do século XX. Suas fotos de paisagens noturnas de Paris, com seus habitantes mais comuns e também os mais insólitos, suas ruas e calçadas cheias de luz e sombra correram o mundo e deram-lhe fama internacional. Agora, este belíssimo trabalho poderá ser visto no Museu Nacional de Brasília, de 02 de setembro a 02 de outubro de 2011. Entrada franca.

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Renan Cepeda expõe nova série realizada no oeste da Espanha

© Foto de Renan Cepeda. La Torrecilla. Espanha, 2011.

O resultado de uma viagem que o fotógrafo Renan Cepeda realizou recentemente à Espanha poderá ser visto na exposição intitulada "Knight Paintings", que será inaugurada no dia 30 de agosto de 2011, terça-feira, às 19h, na Galeria Tempo, no Rio. Renan Cepeda investiga há mais de dez anos a técnica do light painting em paisagens e cenas noturnas no interior do Brasil e mais recentemente, nos Andes peruanos. Knight Paintings é a evolução do nome Night Paintings, título de uma série de fotografias brasileiras já apresentadas em individuais no Brasil e exterior, que por sua vez provêm de "light painting", termo internacional que denomina esta técnica, muito utilizada em fotografias comerciais de pequenos objetos em estúdio. Da Espanha, Renan Cepeda trouxe uma série de castelos fotografados à noite com lanternas e canetas laser, registrando efeitos luminosos em suas câmeras antigas de filme - como uma Rolleiflex 6x6cm e uma Linhof 4x5 polegadas, ambas fabricadas nos anos 1950 -, sem se furtar de lançar também um olhar diurno para algumas paisagens singulares desta região ibérica, que guarda ainda muitos mistérios dos cavaleiros templários e de bruxos que ali se reuniam até a implantação da Santa Inquisição. Serviço: Abertura exposição Knight Paintings, de Renan Cepeda. Dia 30 de agosto, terça-feira, às 19h. Galeria Tempo. (Av. Atlântica, 1782 / loja E. Copacabana - ao lado do Copacabana Palace).

SP PHOTO FEST traz ao Brasil o fotógrafo norte-americano Stephen Shore

© Foto de Stephen Shore.

O SP PHOTO FEST - Festival Internacional de Fotografia de São Paulo em parceria com o MIS - Museu da Imagem e do Som, trazem em setembro, pela primeira vez ao Brasil, o fotógrafo norte-americano Stephen Shore para uma palestra gratuita, uma exposição, e um workshop exclusivo. Considerado um dos fotógrafos mais celebrados da atualidade, Stephen, com a sua larga trajetória, foi um dos mais jovens fotógrafos a expor individualmente no Metropolitan Museum of Art, de Nova York, em 1971, com apenas 24 anos de idade. Seus trabalhos já foram exibidos em importantes museus e galerias dos EUA e da Europa. Uma das séries mais conhecidas de Shore, iniciada em 1973, foi “Uncommon places” desenvolvida ao longo de uma viagem pelos Estados Unidos. A proposta do SP PHOTO FEST - Festival Internacional de Fotografia de São Paulo é reunir grandes profissionais da área fotográfica de expressão internacional. Ja vieram ao Brasil fotógrafos e pensadores como Martin Parr (EUA), Ralph Gibson (EUA), Amy Arbus (EUA), Scout Tufankjian (Armênia), Jay Colton (EUA) e Antonin Kratochvil (República Tcheca) entre tantos outros, para workshops, palestras e exposições, que se uniram a brasileiros de destaque como Cristiano Mascaro, Orlando Azevedo, Marcelo Greco e Eustáquio Neves. “Quando Stephen Shore tinha 12 anos, o curador Edward Steichen comprou suas fotografias para o Museu de Arte Moderna de Nova York, MoMA. Quando tinha 24 anos, em 1971, ele foi o primeiro fotógrafo vivo a ter uma mostra individual no Metropolitan Museum of Art New York”, escreveu a revista New York Magazine. O SP PHOTO FEST tem como Diretor Executivo o fotógrafo e empresário paulistano Luiz Marinho. Saiba mais sobre o festival Aqui

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Henri Cartier-Bresson completaria 103 anos de idade se estivesse vivo

© Foto de George Hoyningen-Huene. Henri Cartier-Bresson aos 24 anos de idade fotografando em Nova York, 1933.

Hoje, 22 de agosto de 2011, Henri Cartier-Bresson, um dos mais importantes fotógrafos do século XX completaria 103 anos de idade se estivesse vivo. Para comemorar esta data, publico uma foto feita em 1933 por George Hoyningen-Huene (1900-1968), que mostra o jovem Cartier-Bresson aos 24 anos fotografando em Nova York. “É preciso esquecer-se, esquecer a máquina... estar vivo e olhar. É o único meio de expressão do instante. E para mim só o instante importa... e é por isto que adoro, não diria a fotografia, mas a reportagem fotográfica, ou seja, estar presente, participar, testemunhar, com a alegria da composição e evitar a anedota. Ao mesmo tempo, não podemos ficar esperando pela grande fotografia. Há muito o que descascar. É um presente que lhe é oferecido, mas é uma ação do acaso e é preciso tirar proveito dele... ele existe. É a vida, e ao mesmo tempo, a morte... porque desaparece, acaba. Há algo de mórbido na fotografia. Não é raro uma foto que possamos olhar por mais de um instante que passe uma emoção”, definiu Bresson.

Charles Moore foi o único fotógrafo a registrar a prisão de Martin Luther King

© Foto de Charles Moore. Martin Luther King é preso em um bar de Montgomery. EUA, 1958.

Charles Moore (1931-2010) foi o único fotógrafo a registrar a prisão do líder negro Martin Luther King por dois policiais, que o algemaram e o acusaram de vadiagem, quando aguardava o julgamento de um amigo em um bar nas proximidades de um tribunal. Charles Moore é um lendário fotojornalista de Montgomery, cuja cobertura do movimento dos Direitos Civis nos EUA produziu algumas das fotos mais famosas do mundo. O historiador Arthur Schlesinger Jr observou que as fotografias de Moore ajudaram a mudar a opinião pública norte-americana sobre o movimento dos Direitos Civis.

O incrível disfarce de Weegee

O fotógrafo Weegee (Arthur Fellig) disfarçado de sorveteiro, 1943.

Este é mais um sensacional disfarce do fotógrafo free-lancer Arthur Fellig (1899-1968), conhecido profissionalmente como Weegee, "o fotógrafo da inquietação noturna". Nesta imagem ele aparece disfarçado de sorveteiro para conseguir penetrar em locais em que a imprensa era proibida de entrar. Ele era o único fotojornalista em Nova York que tinha autorização para ter um radio que captava a freqüência dos rádios da polícia, com isso ele era sempre o primeiro a chegar aos locais dos crimes. Weegee dormia completamente vestido com o rádio da polícia ligado à cabeceira de sua cama. Sua câmera, sua máquina de escrever, e até mesmo os equipamentos de um laboratório completo foram montados no porta-malas de seu carro, vejam Aqui

Nastassja Kinski e a serpente

© Foto de Richard Avedon. Nastassja Kinski e a Serpente, 1981.
(Clique na imagem para ampliar)

Esta é umas das fotografias mais conhecidas de Richard Avedon (1923–2004) intitulada “Nastassja Kinski e a Serpente”. Feita em 1981, a foto mostra a bela atriz alemã envolta em uma enorme cobra. Posteriormente Avedon contou que ele e Nastassja esperaram pacientemente que a cobra colocasse a língua de fora para efetuar o clique. Em 1944, aos 21 anos, Avedon começou a retratar mulheres para a Harper's Bazaar. Nessa época, criou a prática de perguntar às modelos a música que elas queriam ouvir durante as fotos e o que gostariam de comer. Isso ajudava a descontrair o ambiente e a criar uma atmosfera mais relaxada. Com sua máquina Rolleiflex, Avedon imortalizou dezenas de modelos internacionais.

David Hockney por Robert Mapplethorpe

© Foto de Robert Mapplethorpe. David Hockney, 1976.

Robert Mapplethorpe (1946–1989), artista famoso por sua irreverência, retratou o pintor, artista, cenógrafo e fotógrafo britânico David Hockney bocejando descontraidamente em 1976. As fotos de Robert Mapplethorpe ajudaram a inspirar o movimento estético de várias gerações. Mapplethorpe viveu com a cantora Patti Smith, que conheceu em 1967, em uma livraria de Nova York, onde ela trabalhava. Os dois viveram um caso de amor, apesar de Mapplethorpe ser gay, até 1975.

sábado, 20 de agosto de 2011

O Piscinão de Ramos invade Nova York

© Foto de Julio Bittencourt. Da série sobre o Piscinão de Ramos. Rio de Janeiro.

O fotógrafo Julio Bittencourt vai exibir a partir do dia 21 de setembro de 2011, na 1500 Gallery (espaço especializado em fotografia brasileira em Nova York), a mostra intitulada “Ramos”, sobre o Piscinão de Ramos, uma piscina artificial de água salgada do Rio de Janeiro, que ganhou fama nacional ao ser um dos cenários da novela "O Clone", de Gloria Perez. Julio Bittencourt nasceu em Brasília em 1980. Viveu a infância em São Paulo e a adolescência em Nova York. Após regressar ao Brasil, trabalhou em jornais e principalmente, desenvolveu os seus projetos pessoais. Julio já teve fotos publicadas em revistas como Esquire, Geo e Stern, e nos jornais Le Monde e The Guardian e já venceu diversos prêmios nacionais e internacionais.

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

O exercício matinal de um ditador

© Foto de Orlando Brito. O ditador-general Geisel, de calção de banho fazendo exercícios numa praia no Rio Grande do Norte, 1975.

Esta famosa foto feita por Orlando Brito mostra o general linha dura Ernesto Geisel, de calção de banho, fazendo exercícios numa praia no Rio Grande do Norte, imagem que marcou o ano de 1975. Certa vez, em depoimento à revista Poder, Orlando Brito explicou como fez a foto: “Era um sujeito muito duro, firme nas posições, mas incapaz de uma grosseria no trato pessoal. Eu estava em Natal, no Rio Grande do Norte, acompanhando o presidente Geisel numa viagem oficial. Hospedei-me no hotel em que a imprensa estava, o mesmo da comitiva presidencial. Trabalhava no O Globo. Consegui lugar para dormir no chão, próximo à janela, num quarto com mais três colegas. De manhã cedo, por volta das cinco horas, acordei com o sol no meu rosto, olhei para a praia e tive um susto: lá estava o presidente Geisel de calção de banho, fazendo exercícios e dando mergulhos. Imediatamente peguei a câmera, a melhor lente e comecei a fotografar. A autocensura era tão feroz que nenhum deles se dispôs a fazer o mesmo. Por precaução fotografei dois rolos de filme acompanhando cada passo do presidente na areia. Um eu escondi e o outro ficou na câmera, pronto para ser tomado pelos militares. Ao descer para o café da manhã um general perguntou o que eu estava fotografando na praia. Fui dedurado. Pensei, “agora a coisa vai ficar mal para o meu lado”. Humberto Esmeraldo Barreto, secretário de comunicação do presidente Geisel, interveio: “Não há problema algum. O presidente foi à praia, um lugar público e pode ser fotografado sem a farda como estava. Os tempos são outros”. Quando ele disse “os tempos são outros”, entendi que a partir dali a ditadura iria viver o princípio do fim”, afirmou Orlando.

A foto de Christy Turlington e Naomi Campbell

© Foto de Steven Meisel/Vogue. Christy Turlington e Naomi Campbell para um editorial da revista Vogue Itália, 1989.

Esta é uma imagem pouco conhecida do fotógrafo Steven Meisel. Ele clicou um momento bem sugestivo entre Christy Turlington e Naomi Campbell, para um editorial da revista Vogue Itália, em 1989. Steven Meisel é um dos mais importantes fotógrafos de moda da atualidade. Em 1992, Madonna lançou o livro “Sex”, com fotos feitas por Steven Meisel. Veja a foto da Madonna andando completamente nua pela rua, entre outras Aqui

O incrível mundo de Sam Haskins

© Foto de Sam Haskins. Auto-retrato em seu estúdio. Johanesburgo. África do Sul, 1962.

Este é o fotógrafo sul-africano Sam Haskins (1926-2009) retratando em seu estúdio de Johanesburgo, em 1962. Sam ficou conhecido pelas suas fotografias de moda e de nus colaborando com as revistas Vogue, Harper Bazaar, Allure e Nova York . Sam Haskins publicou vários livros, entre eles “Cowboy Kate and Other Stories” (1964), “Africa Image” (1967), “Concept, Photography and Design” (1972), “November Girl” (1966), “Photo Graphics” (1980), “Sam Hasking A Bologna” (1984) e “Five Girls” (1962). Acesse o site de Sam Haskins Aqui

Images&Visions homenageia José Oiticica Filho no Dia Mundial da Fotografia

© Foto de José Oiticica Filho. O Tunel, 1951.

Hoje 19 de agosto é o Dia Mundial da Fotografia. Nesta data o Blog Images&Visions homenageia José Oiticica Filho (1906 – 1964), uma das principais figuras da moderna fotografia brasileira, filho do pensador anarquista e filólogo José Oiticica (1882 - 1957) e pai dos artistas visuais Hélio Oiticica (1937 - 1980) e César Oiticica (1939). O artista José Oiticica Filho é um dos responsáveis pela renovação e modernização da fotografia no Brasil, influenciando ainda hoje a prática fotográfica criativa e experimental. A foto acima intitulada “O Tunel” foi feita em 1951. Fonte biográfica: Itaú Cultural

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

A exuberante modelo Natalia Vodianova

© Foto de Mario Testino/Vogue. A supermodelo Natalia Vodianova. Cannes, 2008.

Esta belíssima fotografia em preto e branco feita por Mario Testino para a revista Vogue, mostra a exuberante modelo russa Natalia Vodianova usando apenas um fabuloso bracelete de diamantes. Mario Testino nasceu em Lima, no Peru, em 1954. Ele foi viver em Londres em 1976 para estudar fotografia, e tem residido permanentemente na Inglaterra desde 1982. Natalia Vodianova está na 4ª posição na lista das "20 modelos-ícones" publicada pelo site Models.com.

“A jovem da fotografia sou eu”

© Foto de Alfred Wertheimer. The Kiss, 1956.

“Pronto. A jovem da fotografia sou eu”, confessou esta semana, Barbara Gray à revista Vanity Fair, 55 anos depois de ser imortalizada beijando Elvis Presley pelo fotógrafo Alfred Wertheimer na escada do Mosque Theatre de Richmond, na Virgínia, numa noite de Junho de 1956. A foto foi publicada pela primeira vez na revista “The Amazing Elvis Presley”, e se tornou numa das mais famosas e enigmáticas fotografias da história. “Eu nunca me preocupei em perguntar ao Elvis quem era ela. E ele também nunca me disse”, disse Alfred Wertheimer, atualmente com 81 anos. Em Janeiro de 2010, o museu Smithsonian celebrou em Washington o 75º aniversário do nascimento de Elvis com uma exposição, e essa fotografia foi a escolhida para o cartaz. Barbara Gray decidiu mesmo pôr fim ao mistério. Ela contatou primeiramente o fotógrafo Alfred Wertheimer, via Facebook, e depois a revista Vanity Fair. Fonte: Público

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Pablo Picasso no olhar de Irving Penn

© Foto de Irving Penn. Pablo Picasso. Cannes, 1957.

Esta icônica foto de autoria de Irving Penn mostra Pablo Picasso de chapéu cobrindo parte do rosto com a gola de um casaco escuro, deixando aparecer apenas o olhar inquieto do artista. Irving Penn (1917-2009) é autor de retratos definitivos de algumas das maiores personalidades do século 20, como Truman Capote, Salvador Dali, Marlene Dietrich, Christian Dior, Duke Ellington, Alfred Hitchcock, Nicole Kidman, Miles Davis, Rudolph Nureyev, Edith Piaf, Igor Stravinsky e Tennessee Williams, entre muitos outros. Além dos retratos de grandes nomes da arte, Penn também fez importantes trabalhos na área de moda (publicou em revistas como a Vogue e a Harper’s Bazaar) e experimentos em naturezas mortas. Seu período mais produtivo foi nas décadas de 1940 e 1950.

Guinaldo Nicolaevsky é o homenageado da Semana da Fotografia de Belo Horizonte

© Foto de Guinaldo Nicolaevsky. A menina que se negou a cumprimentar o ex-presidente João Figueiredo. Belo Horizonte. 1979.

Guinaldo Nicolaevsky, um dos mais importantes fotojornalistas brasileiros falecido em 2008, será homenageado hoje, quarta-feira, dia 17 de agosto de 2011, às 21 horas, durante a abertura da Semana da Fotografia de Belo Horizonte promovida pelo Fórum Mineiro da Fotografia Autoral, que reúne no espaço Cento e Quatro da Praça da Estação várias exposições individuais e coletivas, além de projeções multimídias, mostra de cinema, palestras, e instalações. Guinaldo Nicolaevsky trabalhou nos jornais O Tempo, O Globo, O Estado de S. Paulo, Hoje em Dia e Manchete, foi também presidente da Associação dos Repórteres Fotográficos e Cinematográficos de Minas Gerais (Arfoc-MG). Guinaldo é autor da célebre foto que marcou o início da abertura política, a da menina que se negou estender a mão ao ditador João Figueiredo em 1979. Veja a programação completa da Semana da Fotografia de Belo Horizonte Aqui

terça-feira, 16 de agosto de 2011

À procura do “olhar lindo e inocente”

© Foto de Bruce Davidson/Magnum. Girl with Kitten. Londres, 1960.

Este belo retrato feito pelo fotógrafo norte-americano Bruce Davidson há mais de 50 anos é uma dos favoritos do artista. Bruce retratou a jovem numa rua de Londres em 1960, quando ela estava a caminho de um concerto com dois amigos. Agora, o fotógrafo está determinado a encontrar essa mulher. “Eu sei que a foto é de 51 anos atrás, mas alguém lá deve saber quem ela é, com certeza”, afirmou Bruce. “Eu andei com eles por algumas horas. A jovem com o seu gatinho, o saco de dormir e o seu olhar lindo e inocente ficaram marcados na minha memória” complementou o fotógrafo. Nascido em 1933, Bruce ingressou na Agência Magnum em 1956, a convite de Henri Cartier-Bresson. Agora, com 77 anos de idade, Davidson vive com a sua esposa, Emily Haas Davidson, em Nova York.

O pequeno Elvis

© Foto do álbum de família. Elvis Presley aos dois anos de idade ao lado de seus pais Vernon Presley e Gladys Love Smith. EUA, 1937.

Hoje completa 34 anos que o ídolo mundial Elvis Presley morreu subitamente de insuficiência cardíaca em 16 de Agosto de 1977, aos 42 anos de idade. Esta foto proveniente do álbum de família mostra o pequeno Elvis, aos dois anos de idade, ao lado de seus pais Vernon Presley e Gladys Love Smith. A família passou por dificuldades financeiras, principalmente quando Vernon, o pai de Elvis, foi preso por falsificar um cheque. Em 1948, aos 13 anos, Elvis se mudou com a família para a musical cidade de Memphis, para em seguida conquistar o mundo. Elvis foi um dos músicos populares da história, com mais de 100 milhões de discos vendidos somente nos EUA.

Começou a Semana da Foto de Curitiba

A mostra “Fotografia em Transe” faz parte de um projeto da Portfólio Escola de Fotografia, que busca ajudar a população desabrigada pelas chuvas por meio da fotografia.

Começou ontem, dia 15 de agosto de 2011, a Semana da Foto de Curitiba. Organizada pelos fotógrafos Guilherme Zawa, Téo Pitella, Melanie D’Haese e pela Guerrilha Fotográfica, o objetivo do evento que termina em 21 de agosto é descobrir e divulgar os fotógrafos de Curitiba, unir as escolas e amantes da fotografia, além de ajudar a aquecer o mercado e cultura fotográfica da cidade. Durante sete dias acontecem cursos, palestras, oficinas, exposições, atividades sociais e intervenções fotográficas espalhadas por toda a cidade. Veja a programação completa Aqui

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

A modelo Twinka Thiebaud ajudou a cuidar de Henry Miller no final de sua vida

© Foto de Mary Ellen Mark. Henry Miller and Twinka Thiebaud. Pacific Palisades, Los Angeles, 1975.

A modelo Twinka Thiebaud que posou para os mais importantes fotógrafos do século 20 ajudou a cuidar do escritor norte-americano Henry Miller (1891-1980) no final de sua vida. Ela era amiga de sua filha e acabou publicando um livro intitulado "Reflections", uma crônica do "momento final" de Henry Miller. Twinka é a protagonista da célebre fotografia de Judy Dater feita em Yosemite, na Califórnia, em 1974. Na imagem aparece a fotógrafa Imogen Cunningham (1883-1976), conhecida como uma das maiores fotógrafas norte-americanas, dando uma aula sobre fotografia de nudez. A aluna Judy Dater viu sua chance e registrou Cunningham e a modelo Twinka Thiebaud. A foto correu o mundo. Veja a célebre fotografia que mostra Twinka Thiebaud nua Aqui

Faltam 37 dias para começar um dos dez melhores festivais de fotografia do mundo

© Foto de Claudio Edinger. O fotógrafo participará do festival com o Workshop “O livro e o trabalho autoral na fotografia”.

Faltam 37 dias para começar a sétima edição do Festival Internacional de Fotografia-Paraty em Foco 2011, que acontecerá de 21 a 25 de setembro na cidade fluminense de Paraty, RJ. O tema deste ano é o #FUTURO. “Se por um lado é inevitável questionar o que será da fotografia no desenrolar do turbilhão digital, por outro nos perguntamos que mundo a fotografia vai encontrar mais à frente. Para dar corpo a este tema, estamos convidando artistas, fotógrafos, pensadores da imagem e cientistas de todo o mundo, que, de forma direta ou indireta, estão discutindo a agenda futura, ou, simplesmente, fazendo o #FUTURO”, afirmam os organizadores. O “Raconteur on Photography”, do último mês de abril publicou uma matéria sobre o boom dos festivais de fotografia pelo mundo e o Paraty em Foco apareceu entre os dez melhores festivais do planeta. Veja a programação completa Aqui

Claudia Cardinale atraindo as atenções

© Foto de Claude Azoulay. Claudia Cardinale em frente ao café "Les 2 Magots", Saint-Germain. Paris, 1961.

Esta foto de autoria de Claude Azoulay mostra a bela atriz italiana Claudia Cardinale, aos 22 anos de idade, atraindo as atenções dos freqüentadores do célebre café “Les Deux Magots”, reduto de artistas e escritores de vanguarda, como Pablo Picasso, François Truffaut, Simone de Beauvoir, Jean-Paul Sartre, Oscar Wilde, Ernest Hemingway, Umberto Eco, Saint-Exupéry, entre muitos outros. Claude Azoulay começou a trabalhar na revista Paris-Match, em 1954. Cobriu a guerra da Argélia e muitas outras, fotografando os acontecimentos mais dramáticos da segunda metade do século XX. Seu trabalho como fotojornalista o levou-o para Saint-Tropez e Cannes, bem como para os grandes estúdios e sets de filmagem em Londres e Hollywood. Azoulay retratou várias estrelas do cinema, como Brigitte Bardot, Catherine Deneuve, Elizabeth Taylor, Faye Dunaway, Barbara Streisand, Jean-Paul Belmondo, Kirk Douglas, Jane Fonda e John Wayne.

sábado, 13 de agosto de 2011

A imagem do desamparo

© Foto de Seamus Murphy. Pai desamparado abraça firmemente a filha que sofria de malária. Takhar, Afeganistão, 2000.

Antecipando a minha homenagem ao Dia dos Pais, publico uma foto de autoria do fotojornalista irlandês Seamus Murphy, que mostra um pai desamparado abraçando firmemente a filha que sofria de malária, à espera de atendimento em uma clínica na província de Takhar, no Afeganistão. Seamus Murphy publicou em 2008 um livro intitulado A Darkness Visible, que reúne imagens feitas nos 12 anos que passou fotografando o Afeganistão. A sua exposição sobre o Afeganistão foi visitada por mais de 10 mil pessoas em 2004, em Londres. Murphy já foi seis vezes vencedor do prêmio World Press Photo.

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

O exílio da Família Imperial brasileira

© Foto de P. Gavelle/Acervo dom João Orleans e Bragança/IMS. Família Imperial brasileira reunida no castelo d’ Eu, França, 1918.
(Clique na imagem para ampliar)

Esta foto atribuída a P. Gavelle mostra a Família Imperial brasileira no exílio reunida no castelo d’ Eu, na Normandia, em 1918. A imagem pertence ao acervo de dom João Orleans e Bragança, que está sob comodato no Instituto Moreira Salles: “Emprestei o acervo ao IMS, por cinco anos, porque lá eles têm carinho pelo material fotográfico e as condições técnicas de que ele precisa para sobreviver. A fotografia necessita de luz, temperatura, umidade e papel adequados, entre outras coisas. As fotos não se encontravam nas condições ideais de armazenamento, estavam se deteriorando”, afirmou ao site Opinião e Noticia dom João de Orleans e Bragança, herdeiro da coleção da família. No primeiro plano, da esquerda para a direita: D. Maria Francisca (em pé) e D.Elizabeth Dobrzensky de Dobrzenicz (sentada), tendo ao colo D. João Maria; ao seu lado D. Isabel (futura condessa de Paris), e D. Pedro Gastão, ambos em pé. Sentados aparecem o Conde D´EU e a Princesa Isabel, seguidos de D. Pia Maria (em pé), D.Luis (sentado), D. Luis (sentado), D. Luis Gastão e D. Pedro Henrique (Principe do Grão Pará), ambos em pé;no segundo plano, da esquerda para a direita, em pé, estão D. Pedro de Alcântara, D. Antonio e D. Maria Pia.

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

O “Fim de Semana Perdido”

© Foto de Ron Galella. Mick Jagger, John Lennon e sua namorada May Pang. Nova York, 1974.

Na fotografia feita pelo legendário Ron Galella, conhecido como Rei dos Paparazzi, aparecem Mick Jagger, John Lennon e sua namorada May Pang, reunidos em um jantar em Nova York, em março de 1974, durante o período que ficou conhecido como “Fim de Semana Perdido”. Nestes últimos anos, May Pang vem lutando para provar que John Lennon não estava deprimido durante os 18 meses em que viveu com ela, de 1973 a 1975, antes dele se reconciliar com sua segunda esposa, Yoko Ono. “Foi uma época extremamente produtiva, durante a qual Lennon terminou três álbuns, produziu discos de Ringo Starr e Harry Nilsson e gravou com David Bowie, Elton John e Mick Jagger” afirma May Pang, que em 2008 lançou o livro "Instamatic karma", que reúne imagens do “Fim de Semana Perdido”.

Livro mergulha na obra de Emidio Luisi

© Foto de Emidio Luisi. O mestre da dança japonês Kazuo Ohno.

A Editora Photos lança este mês o livro "Fotografia de Espetáculo", do ítalo-brasileiro Emidio Luisi, que é uma referência na fotografia de palco no Brasil. Há mais de 30 anos Emidio foca seu trabalho nos espetáculos de dança, teatro e show. Além das fotos, o livro traz informações técnicas e dicas preciosas, além de depoimentos de diretores, coreógrafos, iluminadores, cenógrafos e outros profissionais da cultura e da arte. O lançamento oficial acontece no dia 23 de agosto de 2011, às 19h, na FNAC Pinheiros, em São Paulo [Praça dos Omaguás, 34, Pinheiros]. "Seja fotógrafo de espetáculo, seja invisível”, escreveu no livro Emidio Luisi. Fonte: Bianca Oliveira/Editora Photos